A formação da Ordem e a forma hierárquica

O conhecimento, o saber e a dedicação em busca do renascimento são fundamentais para conseguir se tornar merecedor dos mistérios anunciados pelo Cristo, tais saberes e descobertas acontecem por inspiração do Divino Espírito Santo.

O crescimento pessoal, fortalece o coletivo na formação da Egrégora da Ordem. E todos devem trabalhar nesse sentido, formando um círculo de energia que proporcione a perfeita união do grupo com o Cristo e através dEle com Deus.

Um Cavaleiro ou uma Dama Templário sozinho é como uma árvore, que por mais frondosa que seja, se estiver só no meio do descampado, estará mais sujeita as intempéries climáticas, aos fortes ventos, as tempestades e as pragas. Sabiamente Jesus disse que “onde estiverem dois ou mais reunidos em meu nome, ali eu estarei” ou seja onde houver a Egrégora, ali Eu estarei, me manifestarei.

O Cavaleiro ou a Dama Templário que estiver só em uma região e que desejar seguir os ensinamentos reservados do Templo deve buscar a união com mais dois membros para a formação de uma Tercia, da mesma forma para a formação de uma Comendadoria.

Segundo o Estatuto da OSMTH Magnum Magisterium (a qual somos vinculados e a qual é a única Rama Templária que vem desde 1.118 seguindo a tradição de seus fundadores) especifica em seu Art.11 que "cabe ao Grão-Mestre constituir Grandes Piorados, Priorados, Comendadorias, nomear, promover e destinutir Cavaleiros e Damas de todos os graus"

Ao contrário do que muitos pensam, a formação de uma Ordem com tão profundos conhecimentos espirituais requer trabalho, dedicação e respeito aos princípios estabelecidos pela Ordem há cerca de 900 anos. Portanto, estas informações básicas tem como objetivo apenas informar aos Irmãos que sem trabalho, dedicação e persistência não existem conquistas.